Era uma Vez o Sarzedo...

 

Um decreto de 17 de Agosto de 1835, seria o último a fazer constar Sarzedo como Concelho, apenas composto por esta Freguesia, que tinha 96 casas. Foi neste mesmo ano de 1835 que Sarzedo é integrado no Concelho e Comarca de Valhelhas, que terá registado um aumento significativo em número de habitantes.

Sarzedo terá sido muito importante em tempos remotos, segundo diz a “Minografia de Valhelhas” de Alípio Rocha existiu uma Fortaleza Militar: o Castelo Redadeiro ou Patoetas ( os mapas designam esta parte da Serra da Rachada, por Lugar dos Castelos”.

Na Freguesia existia outrora uma importante mina de Volfrâmio, que se chamava Malheira e Cabeçada, a qual se estendia pela Freguesia de Orjais.

Extinto o Concelho de Valhelhas no ano de 1855, Sarzedo passa a pertencer ao Concelho da Covilhã.

 

Passado mais de um século dessa altura surge então o Grupo Desportivo e Recreativo Sarzedense. Foi fundado a 19/09/1974 por um grupo de jovens da freguesia, com a intenção de dinamizar a prática desportiva, tendo então formado uma equipa de futebol e outra de atletismo.

Pode dizer-se até que o grupo começou devido à ambição de um grupo de jovens em ter um Campo de Futebol!!! Primeiramente realizaram um peditorio, mas como o que conseguiram angariar estava longe de dar para fazer o campo de futebol, dedicaram-se aos bailes, e assim nasceu a ideia de formar uma colectiviodade, de forma a ser possível fazer pedidos formais à Junta ou outros.

Os bailes de Domingo tornaram-se constantes e animavam a freguesia.

 

No Inicio as regras eram rígidas, não era premitido a qualquer pessoa frequentar o quintal sem pedir autorização à direcção,  cada sócio que se atrasasse no pagamento de três cotas era expulso e  não podia frequentar a sede.  Em 1977 foi contratado um Contínuo cujas funções eram abrir a portas portas, ligar a televisão e estar atento para que ninguém estragasse nada, e verificar se as pessoas que entravam tinham autorização ou não.

Durante muitos anos era usual pagar-se a “joia”, uma quantia imposta para quem queria ser sócio. 

Também a entrada de menores ate aos 14 anos só seria efectuada se o pai ou irmão fosse sócio e a pessoa responsável pela sua estadia ali também fosse sócio.

As faltas displinares eram punidas com suspensões, para que a colectividade fosse um lugar onde todos se sentissem bem.

Mais tarde, as pessoas que não eram sócias tinham de pagar uma taxa para ver televisão.

 

Foi a 28 de Junho de 1981 que numa assembleia ordinária se chegou a pleno acordo sobre a bandeira do clube e decidiu-se ser o fundo amarelo e o louzangulo e letras em preto. Foi aberto um concurso a todos os sócios para aprsentarem propostas para o símbolo do grupo. As condições impostas pela direcção foram que não tivesse cores nem símbolos do Sporting nem do Benfica. O símbolo escolhido foi da autoria do sócio fundador Carlos Alberto Lopes Rodrigues, que diz ter-se inspirado no símbolo da Académica.

Poucos anos depois da formação do grupo, passou a realizar-se o jogo Solteiros-Casados todos os anos, na véspera da Nossa Senhora das Preces.

Foi em Dezembro de 1998, que se formou uma comissão cuja finalidade foi a organização das Bodas de Prata da Colectivadade.

Após um período menos rico em actividades o GDRS vem em 1999 (nas bodas de prata) promover o Grande Prémio das Castanhas (prova de atletismo) que se vem realizando todos os anos desde aí.

Trata-se de uma prova onde todos se inter-ajudam com uma objectivo comum, esquecendo as suas diferenças. É uma festa de amizade, companheirismo e acima de tudo de união.  E por isso mesmo é realizado posteriormente um jantar de agradecimento ao pessoal que trabalhou para que mais um grande premio das castanhas fosse um sucesso.

Actualmente conta com uma excelente Sede onde se pode praticar snooker, ping-pong, matraquilhos,  ect.

Nos últimos anos, várias festas têm sido realizadas, no mês de Agosto as tradicionais Festas de Verão animam também os sócios que apenas por esta altura visitam a Sede da Colectividade. Desde 2011 que se realiza a caminhada nocturna em Sábado de lua cheia de Agosto. As caminhadas diurnas tam,bém já são habituais em data a combinar, tal como os passeios de BTT. No Sábado de Páscoa tem-se realizado desde 2000 o já famoso “Jantar da Cabra”, seguido de torneio de Sueca. Recentemente, desde 2012, o Grupo Desportivo e Recreativo Sarzedense uniu-se à Comissão da Igreja em prol de Festas que honrem de melhor forma os Santos da freguesia ao mesmo tempo que enaltecem a nossa humilde Terra. A festa de Nossa Senhora das Preces 2012 e o Divino Espírito Santo 2013 foram fruto desse casamento feliz entre as duas organizações sem fins lucrativos.